Stress: vilão ou mocinho?

Quem já não falou: estou estressado hoje? Pois é o stress está tomando conta de nossas vidas absurdamente nos últimos tempos e isto tem muito haver com as mudanças que vem ocorrendo no nosso dia a dia, principalmente se você é morador das grandes cidades como eu. Então vamos entender um pouquinho sobre como funciona este tão falado stress.

O stress é traduzido psicologicamente para nós sobre a forma de ansiedade e esta ansiedade até certo ponto é uma atitude normal e global e, portanto fisiológica do nosso organismo de se adaptar a alguma situação nova e desafiante gerando potencial extraordinário que em circunstâncias normais não teríamos tanto desempenho no âmbito físico como psicológico.

Assim frente a situações novas, às vezes perigosas, nossa performance física pode ter um desempenho extraordinário, podemos fazer coisas que normalmente não seriamos capazes de fazer em situações mais calmas. Se não existisse esse mecanismo que nos coloca em posição de alerta ou alarme, que é o stress, traduzido pela ansiedade, talvez nossa espécie nem tivesse sobrevivido.

Entretanto, embora o stress favoreça o desempenho e a adaptação do indivíduo às circunstâncias, ela o faz somente até certo ponto, até o ponto onde nosso organismo atinja um máximo de eficiência, alcançado este ponto o resultado será exatamente o contrário e ocorrerá falência da capacidade adaptativa levando ao esgotamento.

Então a questão a se perguntar é o stress é um vilão ou mocinho? O stress é um mecanismo adaptativo de extrema importância para a nossa sobrevivência tanto que para nosso organismo ele é prioritário. O que vem tornando o stress no vilão dos dias de hoje é sim o nosso ritmo de vida.

Se compararmos nossos ancestrais eles acionavam o mecanismo de stress apenas quando iam à caça, quando se deparavam com um animal perigoso, com uma tribo rival, com uma catástrofe do tempo, mas a vida moderna nos trouxe outros tipos de desafios e estes são constantes e contínuos: competitividade, segurança social, competência profissional, sobrevivência econômica, perspectivas futuras, educação dos filhos e por aí afora.

Todos estes stressores vão acionando o mecanismo de liberação de stress levando a um quadro de resistência e posteriormente exaustão. Reconhecer estes mecanismos e maneiras de lidar com ele é de fundamental importância para quem procura qualidade de vida e faz parte das metas de envelhecer bem. Nas próximas matérias vou explicar sobre as fase do stress, falarei sobre ansiedade generalizada, fadiga crônica e stress e obesidade.

Dra Liliane Lemesin
CRM: 80189