Mantendo o peso ideal, saiba mais...

Oba! Você acabou de perder todo aquele peso extra, não é mesmo? Você acha que o processo acabou?

Doce ilusão a sua! Perder o peso foi a parte mais fácil do processo, o mais difícil é manter!

Vamos lá, você acabou de passar por um processo de perda de peso, e seja lá de que forma foi, com dieta, pós bariátrica, com atividade física, com remédio ,você conquistou aquele corpinho que sempre sonhou, não é mesmo?

Neste exato momento, extremamente extasiado, você deve estar pensando: The game is over!

Saiba que este é o pior erro de todos aqueles que passam por um processo de emagrecimento.

Porque, este período é tão crítico? Vou explicar a seguir.

Como falei em muitos dos meus textos, nós somos resultado da nossa evolução e do que fomos programados para fazer, certo?

Como falei na matéria anterior, somos resultado dos nossos ancestrais. Disse também que eles passavam, no período paleolítico por períodos de fartura/fome. Desta forma, pela lei de adaptação de Darwin, quem tinha uma maior chance de sobrevivência, era aquele indivíduo que possuía um gen poupador de energia.

Desta forma, somos em grande maioria descendentes de um genótipo denominado de thirfit.

O que tínhamos de especial? Conseguíamos diminuir nosso metabolismo e com isso nosso consumo de energia nas vacas magras e desta forma chegávamos até a próxima era de fartura. Isso nos deu uma extrema vantagem evolutiva e assim sobrevivemos a estes períodos.

O que acontece com o nosso organismo, é que quando estamos num processo de emagrecimento, mesmo que este processo seja feito com reeducação alimentar, reduzimos o nosso consumo calórico, para que desta forma, entremos num processo metabólico que se denomina beta-oxidação.

 É através da beta- oxidação que usamos nosso estoque de gordura para produção de energia e assim protegemos todos os nossos órgãos, fazendo com que eles funcionem cem por cento neste período. Isto é magnifico e sempre funcionou.

O problema é que vocês lembram que eu disse que nossos ancestrais passavam por períodos de fome e fartura? Então, quando voltava a fartura, nosso organismo se programava para um novo período de escassez e para isso ele acumulava gordura!

Viu, como não dá para falar de emagrecimento sem voltar a era paleo?

Então, quando saímos de um período restritivo, mesmo que este tenha sido feito com uma boa reeducação alimentar, não podemos esquecer que emagrecimento é matemática pura: diminuímos a ingesta para perder, nosso organismo identifica como: oba! Voltamos a época da fartura! Vamos estocar, para queimarmos na próxima época de fome!

E é exatamente isso que ele faz, é um mecanismo geneticamente programado para recuperar tudo aquilo que você perdeu com juros e correção monetária. Reconheceu aí o famigerado efeito ioiô?

Quer dizer então doutora que eu vou nadar, nadar e vou morrer na praia?

Sim! Se você não souber lidar com este período é exatamente isso que vai acontecer.

Por isso o período de manutenção associado à alguns truques que temos na manga é crucial para você emagrecer e continuar magro. O problema é que vocês sempre fogem deste período e não deveriam....

Para isso usamos alguns artifícios como:

- Deixar o paciente com alguns quilos a menos do que preciso, assim damos uma pequena margem para nosso corpo se adaptar e estacionar.

Mas é só isso?

- Não! Este é apenas um dos pequenos truques, precisamos retornar a alimentação aos poucos, mantendo uma dieta saudável, mas um pouco mais calórica e assim vamos reintroduzindo aos poucos o que você pode voltar a comer.

- Retiramos também muito aos poucos a medicação que possa ter sido utilizada na época do processo, evitando assim efeitos rebotes.

 Quando conseguimos estabilizar este peso por um período longo de tempo, que pode ser de pelo menos um ano, a chance de voltarmos ao peso anterior se reduz drasticamente, porque, neste momento, seu corpo se adaptou ao seu novo peso e ele será o novo termômetro para ele.

Falo um pouco mais sobre o assunto, neste link, matéria antiga, mas como disse o poeta: recordar é viver!

Espero ter ajudado um pouco.

Até as próximas matérias...

Dra Liliane Lemesin

CRM:80189