Por dentro do sono!!!

Dormir não é apenas uma necessidade de descanso mental e físico, durante o sono ocorrem vários processos metabólicos que se alterados, podem afetar o equilíbrio de todo o organismo a curto, médio e mesmo em longo prazo. Estudos mostram que quem dorme menos do que necessário tem menor vigor físico, envelhece mais precocemente, está mais propenso a infecções, à obesidade, à hipertensão e ao diabetes.

Uma noite regular de sono pode durar de 4 a 10 horas, podendo variar bastante de uma pessoa para outra. Para determinadas pessoas, uma curta noite de sono é o suficiente para estar em forma, já para outras uma noite longa de aproximadamente 10 horas se faz necessário, mas em média de 7 a 8 horas é suficiente para a maioria das pessoas se sentirem descansadas e aptas para uma nova jornada.

Em condições normais, o sono evolui em dois estágios, sendo o primeiro conhecido como sono Não REM que é subdividido em 4 fases:

- Fase 1 (sonolência): ocorre a liberação de melatonina que ira induzir o sono;

- Fase 2 (sono leve): ocorre diminuição do ritmo cardíaco e respiratório, relaxamento muscular e queda da temperatura corporal;

- Fase 3-4 (sono profundo): pico de liberação de GH (hormônio do crescimento) e da leptina (hormônio responsável pela saciedade e termogenese), começa a liberação de cortisol que atinge seu pico, no início da manhã.

O segundo estágio é conhecido como sono REM, sigla que significa: Rapid EYE Moviment, ou seja movimento rápido dos olhos, é a fase em que ocorre os sonhos.

Os períodos de sono REM geralmente terminam com um despertar breve e/ou transição para nova fase 2. O término do período desde a fase1 até a fase 4 e o sono REM é considerado um ciclo de sono e uma noite de sono ideal é composto por vários destes ciclos consecutivos (geralmente de 3 a 5), cada um com cerca de 90 minutos de duração.

O sono não é um luxo, mas sim um componente importante da saúde, algumas noites mal dormidas podem causar cansaço, sonolência, irritabilidade, alterações de humor, perda de memória recente, comprometimento da criatividade, redução da capacidade de planejar e executar, lentidão do raciocínio, desatenção, dificuldade de concentração. Mas se o problema se perpetua as consequências são falta de vigor físico, envelhecimento precoce, diminuição do tônus muscular, comprometimento do sistema imunológico, tendência a desenvolver obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares, doenças gastrointestinais e perda crônica de memória.

Para saber se não ocorrem alterações com seu sono, acesse no site a seguinte matéria: Você dorme bem? Faça o teste. Caso ocorra alguma alteração com seu sono procure um especialista, ele irá ajudar com seu problema.

Dra Liliane Lemesin
CRM: 80189