Alzheimer, existe prevenção?

Reconhecer alterações metabólicas e combatê-las pode ser a chave para prevenir ou retardar o aparecimento do Alzheimer.

Você tem ou conhece alguém próximo que tenha Alzheimer?

É assustador, não é mesmo? Os estudos mostram um crescimento significativo de casos, ano a ano e o pior de tudo é que não há perspectivas de cura e até o momento não há um único culpado pelo processo em questão.

O que existe são um conjunto de fatores que podem levar ao processo de neurodegeneração e propiciar desde Alzheimer até uma gama de outras patologia como Parkinson, esclerose múltipla, esclerose lateral amiotrófica entre tantas outras.

Hoje acredita-se que alterações em alguns pontos no nosso metabolismo podem ser o sinal inicial para estas patologias e reconhecê-las e tratá-las podem vir a prevenir ou retardar todas estas patologias.

A Lifestyle Medicine que atua com base em conceitos da ortomolecular, da nutrologia e das alterações bioquímicas que acontecem no nosso organismo é muito útil neste caso. Isso porque sempre pesquisamos e tratamos estas possíveis causas.

E quais são elas?

• A inflamação seja ela aguda ou crônica de baixo grau.
• Um grau alto de stress com aumento de cortisol.
• Desequilíbrionutricional como por exemplo uma concentração alta de cálcio e / ou uma diminuição de magnésio e zinco.
• Um aumento de radicais livres levando à um processo denominado stress oxidativo.
• Uma baixa produção de energia no neurônio causada por um déficit mitocondrial.
• Um aumento da insulina levando à um quadro de resistência insulínica nos neurônios. Se você não sabe, o Alzheimer vem sendo considerado um diabetes tipo 3.
• Um baixo fluxo de oxigênio cerebral causado por uma placa de aterosclerose na artéria carótida...

Nossa é muita coisa junta e misturada né?

Pois é, todas estas coisas podem ser descobertas, tratadas e prevenidas.

Feito isso, você afasta a chance de ter um quadro neurodegenerativo e quando este já está presente você consegue prolongar a sobrevida e retardar muitas vezes o aparecimento dos sintomas e da progressão da doença.

Não deixe para manhã; prevenir é sempre melhor do que remediar.

Pense nisso!


Dra Liliane Lemesin

CRM-SP: 80189