E a nutrição evoluiu: nutrigenômica!

A cada dia que passa temos a certeza de que literalmente somos o que comemos, isto ocorre porquê uma área nova da ciência denominada nutrigenômica vem nos mostrando que os nutrientes presentes nos alimentos estão diretamente ligados as alterações que ocorrem em nossa saúde sendo alguns responsáveis por danos e outros por proteção.

A ciência da nutrição vem evoluindo dia após dia, e hoje nos deparamos com diversos termos que nos deixam cada vez mais confusos e sem saber o que comer, sem contar que a cada dia que passa um determinado alimento passa de vilão para bonzinho, depois retorna a ser vilão e novamente bonzinho.

Então esta nova série de matérias tem o intuito de elucidar um pouco este assunto e assim você pode ficar por dentro de termos como alimentos funcionais, amido resistente, alimentos orgânicos, xenobióticos e por aí afora.

Como disse algumas vezes, Vida... Vida!!! Tem o intuito de instruir as pessoas a conquistar hábitos saudáveis e assim ganhar em qualidade de vida, é o que procuramos, não é mesmo? Envelhecer com saúde e qualidade de vida. Então vamos começar falando um pouco sobre nutrigenômica.

A nutrigenômica nasceu da necessidade do ser humano em aumentar a produção e a qualidade de animais destinados à alimentação humana e é uma combinação de diferentes áreas da genética como: genômica (identificação e efeito dos gens), proteinômica (estuda o efeito dos gens nas proteínas) e metabolômica (estuda o efeito dos gens nos metabólitos), associados ao avanço da nutrição convencional. Desta forma, seus primeiros achados tem sido uma maior compreensão das repercurssões da nutrição sobre os processos de utilização e das vias metabólicas seguidas pelos nutrientes e o controle homeostático do organismo.

Desta forma a nutrigenômica busca uma explicação molecular de como os produtos químicos ingeridos numa dieta podem alterar o estado de saúde, modificando o que é determinado pela informação genética individual.

Tudo isso é muito louco, pois possibilita que no futuro possamos determinar os nutrientes mais adequados a cada pessoa respeitando a individualidade bioquímica e genética de cada um. O mesmo tipo de estudo vem acontecendo numa área denominada farmacogenética. Assim num futuro, que me parece estar cada vez mais próximo, teremos condições totais de controlar grande parte das patologias existentes evitando o aparecimento de grande parte delas, isso é qualidade de vida, isso é evolução e me deixa dia a dia mais maravilhada.
Na próxima matéria vou falar um pouco mais sobre os avanços da nutrigenômica e como você pode aplicar estes conhecimentos no seu dia a dia.

Dra Liliane Lemesin
CRM: 80189